Dora

Venho através dessa palavra lhe contar a minha história.

Sou uma moça chamado Dora, morei em um castelo, mas me

aprisionaram por causa de um amor proibido.

Não entendo até os dias de hoje o por que me prenderam lá, mas

consegui a minha liberdade por causa de umas palavras chamadas fé,

amor e paciência.

Algo dentro de mim me fortalecia com essas palavras.

Com o decorrer do tempo apareceu uma velha, que vinha conversar

comigo e me ensinou a palavra paciência, que é um sentimento, um

respeito, um olhar para dentro de você e sentir o que realmente quer

para você.

Amor é um sentimento de paz, de coragem de enfrentaras coisas.

A fé é acreditar que é capaz de conquistar as coisas, respeitar o seu corpo

e o do próximo, ser caridoso.

Com essas palavras eu fui me alimentando, trabalhando para a minha

sobrevivência.

Um belo dia ensolarado, um cigano apareceu no castelo.

Se descuidaram da porteira e ele me levou embora.

Fiquei com muito medo, pois nunca havia saído de lá.

Mas com o tempo me acostumei, pois estava livre.

Conheci neste caminho uma senhora também chamada Dora,

Foi ai que eu conheci as ervas da cura, do amor, das limpezas que o

corpo precisa.

Se as pessoas, deste planeta, soubessem como tem força as ervas da

natureza, seria o melhor remédio deste planeta.

Preciso ir, virei outra hora para falar melhor sobre as ervas.

Dora.