Nunca desistir

Irmãos,

 

Que Jesus em sua infinita bondade abençoe a cada um de nós.

 

Hoje estou muito feliz por estar aqui e contar minha ultima passagem nesse plano.

 

Vim , em minha ultima passagem, de uma vida pobre e difícil no sertão nordestino.

 

Casa de barro com muitos bichinhos, que a gente quebrava o bico na unha, mais tarde

já velho descobri o nome deles; barbeiro.

 

Apesar da fome e pobreza éramos felizes, eu e todos os meus irmãos.

 

Ais 4 anos já acompanhava meu pai na roça e aprendi com ele o sabor da cachaça, não por

desvio, mas ela também aliviava as dores.

 

Anos depois, já um rapaz, parti em busca de riqueza no Sul.

 

Foi a ultima vez que vi minha mãezinha entre nós.

 

Anos depois ela partiu por causa de uma cobra que a picou, e por falta de médico e

conhecimento, ela se foi.

 

A vida continuou dura no Nordeste, ainda sem “mainha”.

 

Eu, no sul, nada pude fazer , e doeu, senti na alma a dor da sua partida.

 

Já adulto e com família, aq minha família, eu virei papai e não “painho”, como

sempre imaginei.

 

Fui no Nordeste e busquei  meu pai, e cuidei com todo meu amor e carinho, até sua partida,

em um dia do sétimo mês.

 

Assim a vida passou, família com filhos difíceis, esposa que se cqnsou e que era difícil também,

porque a criação do Nordeste é diferente da criação do Sul.

 

No trabalho de pedreiro construí meu casebre de tijolos e foi uma felicidade.

 

Tijolos, não era mais barro !!   eram tijolos !!!   ( blocos de concreto)

 

Logo descobri o motivo que me traria d volta para o plano espiritual, conheci como sendo a doença

do bicho barbeiro.

 

Foi tudo muito difícil, tratamento, remédios, desgaste, até a minha partida, onde quem me estendeu

as mãos foi  “mainha”.

 

Isso, irmãos, conto para que saibam que nunca se pode desistir dos sonhos e da luta.

 

Sempre ter fé, o amor, o esforço, saber que quando se apega, se consegue.

 

Irmãos, um menino faminto do Nordeste desencarnou como um velho do Sul.

 

O menino do Nordeste sofreu, passou fome, frio, chuva, mas passou.

 

E o menino do Nordeste aprendeu que não importa a tempestade, o sol vai voltar.

 

E não importa o estrago que a chuva fizer, sempre teremos como começar novamente,

 

E construir  tijolo por tijolo.

 

Jesus os abençoe  irmãos.

 

Vou com  o coração cheio de gratidão por poder falar a vocês de minha  passagem.

 

Sebastião  Antunes dos Santos.