Esposa

Em nome de Deus !

 

Finalmente chegou a minha vez, demorou mas chegou.

 

Obrigado,  muito obrigado.

 

Quero contar a minha historia, uma historia de vida,

 

Uma vida, quer dizer, uma das vidas.

 

Nasci em uma fazenda, fui feliz, muito feliz.

 

Aí chegou a hora de casar, tinha que casar com alguém .

 

Meus pais escolheram a moça, desde pequeno estava prometido a uma pessoa, antigamente era assim.

 

Algumas vezes conhecíamos a pessoa na hora do casamento.

 

Eu tive sorte porque a moça era a minha vizinha.

 

Nós nos conhecíamos  desde crianças, brincamos juntos, quando nós íamos lá na

fazenda dos pais dela.

 

E, em algumas vezes era ela que vinha com os pais.

 

Nos dávamos muito bem.

 

Chegou o dia do casório, ia ser na casa da minha fazenda.

 

Estava tudo enfeitado, comidas, flores e musicas.

 

Fiquei esperando a noiva, estava bastante ansioso.

 

O tempo passou,  passou, passou e a noiva não vinha.

 

Meu pai pediu para o administrador da fazenda, o Tião, verificar o que estava

acontecendo lá na outra fazenda.

 

O Tião chegou depois de algum tempo e explicou ao meu pai:  estão todos mortos

e a noiva desapareceu.

 

Levaram a minha noiva e mataram todos.

 

Com desespero, meu pai organizou uma busca com os outros homens,

vasculharam por toda parte e não encontraram nada, nada.

 

Não casei e nunca mais me casei, não me interessei por nenhuma mulher.

 

Morri velho, triste, muito triste.

 

Morri velhinho, cuidei da fazenda e os meus sobrinhos cuidaram depois da fazenda.

 

Morri,   será ?

 

Estou vivo e por isso estou contando a minha historia.

 

Estou há um tempo aqui na Colônia e vou reencarnar.

 

Vou viver nestes tempos modernos.

 

Vou tentar arranjar uma esposa.

 

Vou esperar a ESPOSA.

 

Obrigado.

 

Alberto.