Grupo Fraterno André Luiz – GFAL

Barueri, 23 de janeiro de 2015.

Tema: Pretos Velhos (recomendado pelos mentores da casa)

1. Abertura

Ari deu início a reunião pedindo para que Lucimara compartilhasse informações sobre as características dos pretos velhos. Lucimara esclareceu que são espíritos que viveram como escravos há muitos anos atrás, suas principais características pretos velhos são a humildade e bondade. São muito respeitados por todo o plano espiritual devido a sua sabedoria.

Os mentores presentes iniciaram os esclarecimentos dizendo que todo contexto vivido tem sempre uma explicação, é necessário aprender a explorar mais o que esta em volta. Todos estão conectados 48 horas do dia com forças superiores, no entanto, não nos ligam nessas forças. É importante usar mecanismos para despertar para situações, energias e acontecimentos ao redor.

2. Poder de cura dos Pretos Velhos

Ari consultou os mentores sobre o poder de cura dos pretos velhos. Foi dito que a cura esta dentro de cada um. Um Preto Velho pode despertar algumas coisas adormecidas ou usar a energia/ força para equilibrar zonas energéticas, xacras. Todos são energéticos e perfeitos e dentro de cada um estão todas as respostas. Os Pretos Velhos acendem esses pontos, o que funciona muito bem se a pessoa estiver aberta a isso. É preciso se

dar a oportunidade. O Preto Velho faz a sua parte e uma semente nunca é perdida… Pode­se guardar uma semente por longo tempo e no dia em que ela for regada, vai eclodir.

Os Pretos Velhos explicaram que são filhos como todos os espíritos, e que por suas vivencias como escravos tiveram oportunidade de adquirir humildade, mas, permanecem buscando melhorar e aprender.

Diego perguntou até onde o Preto Velho pode ir quando esta fazendo um trabalho de ajuda. Foi respondido que o único limite é o querer da pessoa que esta sendo ajudada. Não há diferenças entre encarnados e desencarnados. O limite se estabelece no ponto em que a pessoa não quer mudar seu interior. Uma pequena mudança no pensamento podem abrir os caminhos, mas as pessoas relutam.

3. Funções dos Pretos Velhos nos Centros Espíritas

Ari perguntou sobre as funções nos Centros Espíritas. Os Pretos Velhos explicaram que cada trabalhador tem uma sintonia e existem muitas linhas, cada um faz o trabalho que melhor sabe fazer. Os Pretos Velhos são aqueles que mais conhecem coisas negativas devido ao discernimento adquirido em antigas gerações. Há equipes que trabalham livremente na parte mais “pesada”. Todos os trabalhos são permitidos dependendo da vontade no coração de cada um.

4. Hierarquia no plano espiritual x Atitudes dos encarnados

Há muito respeito, organização e sincronia entre os trabalhadores do outro plano. Tudo funciona perfeitamente porque cada um sabe exatamente o seu papel e o que deve ser feito e respeitam isso. Os encarnados não… Vivem querendo descobrir

porquês e se colocam como vítimas; têm dificuldade de assumir culpas. Errar é permitido e necessário. O pior erro é achar que não esta errando e não querer aprender. As pessoas percebem bem os outros e não si próprios. Muitos falam bonito e falam verdades, porém, nem sempre acreditam naquelas palavras ou praticam o que dizem, como o ditado “Faça o que eu falo, não faça o que eu faço”… As atitudes são incoerentes com o discurso.

5.A responsabilidade de cada um e recomendações para mudança interior

As energias passam de uma pessoa para a outra. Quem permite? As portas abertas. Não é ser uma boa pessoa que espanta os males, é ser honesto consigo mesmo. As pessoas se enganam e abrem portas para energias negativas. Experimentam dores, mas não conseguem perceber a lição. Se autoanalisar, se autoperceber é a receita para que cada um tenha força de expulsar as próprias dores. Nada acontece se não for da vontade e do merecimento de cada um.

O Pai Maior intercede sempre que necessário. O Preto Velho intercede sempre que for permitido pelo Pai e pelo indivíduo.

As palavras tem poder. O pensamento tem poder. É necessário aprender a respirar fundo antes de falar, antes de verbalizar um pensamento. Quando as palavras são ditas há energia dispensada, isso pode ser negativo e afetar outra pessoa.

Cada um é responsável o tempo todo por si e por quem esta a volta, em todos os sentidos – ninguém esta sozinho. Como num “Big Brother”, tem muita gente nos vigiando. Qualquer palavra ou pensamento abre portas para ações imediatas de quem esta conosco. Jesus disse: “Que sim seja sim, que não seja não”.

Os Pretos Velhos também recomendaram cuidado ao expressar­se: não falar da vida do próximo. As pessoas criam uma competitividade com colegas por muito pouco. O que interessa se o outro é mais ou menos que você para o seu crescimento? O caminho é de cada um; ninguém vai junto. O que pode se fazer é tomar exemplos para buscar crescimento, ao invés de aumentar o lado ruim dos outros para sentir­se melhor. Essa última ação gera energias ruins.

Todos são preparados para distinguir o que é certo e o que é errado. Todos tem intuição. Sempre que uma pessoa age de forma errada, o corpo responde imediatamente, mas, não estão ligadas o suficiente para perceber. Um simples tropeço na calçada é um resultado. Para toda ação há uma reação.

É importante prestar atenção a quem esta ao seu lado, com o coração puro, sem julgamento. Perceba um colega que começou o dia mau humorado e ao final dele estava com dor de cabeça, dor no estomago, todos sintomas causados pela negatividade que a próprio pessoa criou.

Cuidado: julgamento forte e cruel é um perigo.

Os Pretos Velhos disseram que amam cada um dos filhos presentes, conhecem as fraquezas e os limites e tem confiança em cada um. Não desistem de ninguém, as pessoas é que desistem delas mesmas.

Recomendaram uma aula sobre o Evangelho no Lar, pois, não basta fazer o bem e frequentar o centro.

O grande passo é se olhar com coragem, será possível ver coisas boas e outras infantis. É necessário aproveitar a reencarnação para se conhecer e se entender.

As caridades como: comida, agasalho, curativo, etc. – muitos irmãos precisam deste tipo de auxilio, mas, o grupo (GFAL) esta

numa outra fase, precisa ajudar o outro e também se ajudar para perceber o que pode ser feito de forma diferente. Pensar: “Puxa, naquele momento eu perdi minha paciência, posso tentar ser melhor.” Um sorriso, uma palavra, um abraço tem efeito muito maior do que comida, mesmo para quem passa fome.

Ao lado de cada um há uma turma do bem esperando para agir. Eles respeitam nossa vontade.

Muitas vezes um “bom dia” dito com verdade desperta no outro uma vontade de viver – neste momento agimos sobre o outro. A caridade está no mínimo detalhe. Tudo é caridade quando vem de dentro do coração, abrindo portas para uma infinita forma de ajuda. Somos instrumentos de uma força maior, sempre.

Ari perguntou o que pode­se fazer além do Evangelho no Lar para ter proteção. Os Pretos Velhos disseram que se cada um dedicar um minuto a conexão com o plano maior, por dia, já é o suficiente.

A Preta Velha deu como exemplo uma pessoa que decide não conversar com o plano maior, por achar que não esta conectada o suficiente para pedir algo. Ela esta errada em não se corrigir. É com exercício que se aprende. É preciso ter perseverança, insistência, fé.

A proteção de cada um é sempre ser otimista, ter certeza de que vai dar certo e aceitação se não der. Assim, cria­se um campo magnético a favor de que as coisas deem certo. E cada vez que um campo encontra outro na mesma sintonia, ele aumenta.

Ao se livrar do julgamento, tudo melhora. É comum as pessoas apontarem erros sem refletir sobre o que aconteceu. Se parar para pensar, vai perceber que os acontecimentos são sempre consequências. Aceitar o outro como ele é e aceitar você como você é: perceber as falhas e as qualidades e bloquear as falhas, abrilhantar as qualidades.

Sem adversidades não existe a provocação para a descoberta, descoberta dos próprios potenciais. Deixar o lado negativo aflorar pode ser ruim, ao passo que aceitar as qualidades traz engrandecimento.

É importante que as pessoas se deem mais tempo. Há necessidade de fazer, fazer, fazer e se esquecem de um tempo para refletir, conectar­se com o plano maior, respirar e pensar sobre o que acontece no dia a dia. As pessoas são muito mecânicas, não se lembram que são energia e que precisam recarregar, como por exemplo, tomar um banho de corpo e alma. Fazem tantas coisas as pressas que não saboreiam os pequenos momentos como uma refeição com pessoas queridas.

Durante o banho peça para aquela água limpar seu corpo físico e o corpo astral, viva o momento.

Agradeça ao se levantar, por colocar os pés no chão – essa é uma forma de Evangelho.

Sorria para você mesmo no espelho… Parece que as pessoas tem medo de si. Precisam melhorar a autoestima. Cada um porta uma beleza que não consegue enxergar. Amem­se antes de amar o outro. No jogo da vida a peça mais importante é você mesmo. Todos são providos de uma energia única: amor.

Ao seguir um pouco do que foi dito, a vida vai melhorar. Todos falam com amor, estão a disposição para ajudar o próximo, já passaram por muitas coisa das quais não guardam mágoas… Continuem cultivando. O bem é o que faz bem.